Realidade do AME de Barretos surpreende comitiva goiana

Participaram da visita técnica, realizada nesta sexta-feira (30/5), os prefeitos Selma Bastos (Cidade de Goiás), Itamar Sebastião Barreto (Formosa), Jalles Fontoura de Siqueira (Goianésia), José Gouveia de Araújo (Posse), Mércia Regeane Lima de Oliveira Cesílio (São Luís de Montes Belos) e o secretário municipal de saúde de Quirinópolis, André Franco Ribeiro.
 

No AME de Barretos, a comitiva goiana foi recebida pela gerente administrativa, Miriam Cristina Marchioreto; pelo gerente médico, Arnaldo Godoy; pela gerente de Enfermagem, Marilene Oliveira Simeão; pelo médico Luiz Carlos Lorenzi, consultor e um dos idealizadores do AME de Barretos; pelo vereador do município, professor Adilson; e pela arquiteta responsável pelos projetos daquele AME, e também dos AMEs de Goiás, Bia Gadia.
Os gerentes fizeram uma breve apresentação do Ambulatório de Barretos desde sua criação; explicaram sobre os serviços prestados pela unidade, como funciona o atendimento, os custos e todo o trabalho realizado, tanto na parte médica quanto em campanhas ou programas de incentivo aos colaboradores e aos usuários. Os gestores goianos também puderam tirar dúvidas sobre a manutenção, a contratação dos profissionais, as demandas da região e também sobre regulação.
 

O secretário Halim Antonio Girade, líder da comitiva goiana e um dos idealizadores do projeto do AME em Goiás, elogiou a atitude republicana do governador Marconi Perillo ao autorizar a construção desses ambulatórios nos seis municípios, independente dos partidos políticos dos prefeitos. Girade explicou aos presentes que o AME de Barretos foi o escolhido como referência para a implantação das unidades em Goiás, por sua qualidade e eficiência. “Nós precisamos de referências e nosso objetivo é chegar, e até ultrapassar, a excelência de vocês”, ressaltou o secretário da Saúde de Goiás.
Em seguida, a comitiva percorreu toda a estrutura do AME de Barretos. Eles conheceram a ala de exames, puderam conferir os tipos de exames ofertados, os equipamentos e tecnologia disponíveis. Além disso,  passaram pela área de consultórios e conheceram alguns dos médicos que trabalham na unidade.
 

A diretoria anfitriã também levou os visitantes para conhecer o AME Cirúrgico. Barretos é a única cidade que, além do AME Ambulatorial, possui também um AME Cirúrgico. Em Goiás, inicialmente os AMEs serão ambulatoriais, mas haverá projetos de ampliação para construção de um bloco cirúrgico posteriormente.

Depoimentos

 

Após a visita, os gestores dos seis municípios goianos estavam todos surpreendidos e felizes com o que haviam acabado de conhecer. Jalles Fontoura de Siqueira, de Goianésia, disse que o AME é uma experiência única, na qual as pessoas, especialmente as carentes, terão acesso ao atendimento de qualidade, nas especialidades que necessitam.
“O AME é um projeto audacioso, que vai transformar a saúde pública na região”, declarou o prefeito de Formosa, Itamar Sebastião Barreto, acrescentando que este será um presente para a cidade.
Para a prefeita da Cidade de Goiás, Selma Bastos, o AME representará uma saúde pública de qualidade e humanizada. “Somos o município pólo de uma regional com 17 municípios e vamos receber estes pacientes e garantir-lhes uma saúde pública de qualidade”, disse a prefeita, lembrando ainda que quando teve a primeira reunião sobre o assunto, com o então secretário estadual Antonio Faleiros, achou que o AME seria um sonho.
Segundo o prefeito de Posse, José Gouveia de Araújo, após a visita, eles conheceram como funciona, na prática, um AME , e agora ele tem a certeza de que a construção da unidade representará um avanço grande para todo o Nordeste goiano. Para ele, a região será muito beneficiada com este modelo de saúde pública de qualidade, especialmente porque estamos a mais de 500 km de Goiânia e os pacientes sofrem muito com esse deslocamento quando precisam da assistência da capital.
 

“Para o povo da nossa região, o AME vai ser um sonho. O que vimos hoje aqui não acontece em qualquer lugar. Temos que agradecer ao governador e ao secretário por nos incentivarem. Saio daqui encantada”, revelou a prefeita Mércia Regeane Lima de Oliveira Cesílio, de São Luís de Montes Belos.
De acordo com o secretário de Saúde de Quirinópolis, André Franco Ribeiro, esta iniciativa vem para preencher um vazio assistencial na média e alta complexidade ambulatorial. “Se conseguirmos cumprir a meta, vamos conseguir manter os pacientes dentro da nossa região. Isso é o mais importante, ter a resolutividade descentralizada na média e alta complexidade”, destacou o secretário.

AME de Barretos atinge 99% de satisfação dos usuários

Os números impressionam: nove mil pacientes atendidos por mês, em torno de 3.600 consultas e 10 mil exames mensais. E o nível de satisfação dos usuários chega a 99%, segundo pesquisa interna. Tudo isso é 100% Sistema Único de Saúde (SUS). É esta a realidade do Ambulatório Médico de Especialidades de Barretos Dr. Luiz Roberto Barradas Barata, inaugurado em novembro de 2011.
 

O AME de Barretos é uma das 50 unidades criadas pelo governo de São Paulo e está entre os cinco primeiros do Estado, de acordo com avaliação de desempenho da Secretaria Estadual de Saúde (SES-SP). A região coberta pelo AME Barretos abrange 18 municípios e uma população de 450 mil habitantes.
 

Barretos é a única cidade que, além do AME Ambulatorial, possui também um AME Cirúrgico. As duas unidades são administradas pela Fundação Pio XII, a mesma responsável pela administração do Hospital de Câncer de Barretos.
No AME Ambulatorial trabalham 52 médicos e 89 colaboradores. No cirúrgico estão 35 médicos, em 12 especialidades, e 82 funcionários, que realizam cerca de 700 cirurgias por mês. A gerente administrativa, Miriam Cristina Marchioreto, explica que as vagas disponíveis são informadas à Divisão Regional de Saúde, que as distribui aos municípios, de acordo com as necessidades, tanto para consultas em uma das 22 especialidades médicas e cinco não médicas, ou para os exames. Também há o encaminhamento para os procedimentos cirúrgicos como de oftalmologia, cirurgia vascular, cirurgia de hérnia e plástica, entre outras. Todos os pacientes atendidos  são encaminhados pela rede básica de saúde do seu município.
 

A gerente administrativa destaca que o tempo, desde a entrada do paciente até o término da consulta, dura em média 55 minutos e que a meta é diminuir ainda mais este tempo. Para os exames com maior demanda, o prazo de marcação é de no máximo 30 dias. Miriam Marchioreto ressalta ainda que a unidade  teve um crescimento de 16% de 2012 para 2013.
“Nós temos metas de contabilidade, fluxo de caixa, faturamento e de satisfação dos usuários para cumprir. Nossa avaliação na Secretaria da Saúde deve ficar acima de 90% para recebimento dos repasses financeiros”, informa Miriam Marchioreto. O custo mensal repassado pela Secretaria da Saúde ao AME de Barretos é de R$ 650 mil.

Atendimento de qualidade

Denilson Marciano é morador de Taiuva, a 70 km de Barretos, e traz a filha, Maria Alícia Borges da Silva Marciano, de quatro anos, para atendimento na área de ortopedia. Ela já passou por consulta, exames e agora o médico avaliará a necessidade de uma cirurgia. “Não tive dificuldade para ser atendido , o atendimento aqui é 100%”, elogia o motorista. 
Moradora de Jaborandi, a 80 km de Barretos, Joaquina Rodrigues Vieira, de 65 anos, confirma a filosofia de humanização do ambulatório: “O atendimento aqui é ótimo, as pessoas são educadas, nos explicam e nos orientam direitinho. Nós precisamos da saúde pública e aqui fui muito bem atendida, estou feliz”, fala a dona de casa , que passou por uma consulta com um endocrinologista e estava no AME pela segunda vez, agora trazendo o irmão portador de necessidades especiais para realizar um exame.
 

O gerente médico, o neurologista Arnaldo Godoy, diz que muitos médicos que atendem no ambulatório têm seus consultórios particulares, mas também optam por atender no AME pela qualidade do serviço. A cirurgiã plástica Maria Bianca é um exemplo. Ela é carioca e trabalha noa unidade  desde a sua inauguração. Ela é considerada uma das melhores da cidade em sua área e fala da sua satisfação por ser colaboradora de uma saúde pública de qualidade: “Aqui é bom tanto para os pacientes, quanto para nós profissionais, pois consigo atender meu paciente e garantir a ele resolutividade do seu caso em tudo que precisamos. Isso é muito bom, pois não nos frustra como profissional da área médica”, destaca.

Fotos da visita

Luciana Brites
jornalista