Administração ecologicamente correta na guerra contra a dengue

A operação de retirada dos pneus teve inicio no dia 29 de abril e termino na quinta-feira(15), envolvendo as Secretarias de Administração, Limpeza Urbana, Transporte, Agricultura e de Meio Ambiente em parceria com os Conselhos Municipal de Defesa do Meio Ambiente(CODEMA) e o de Saúde, que vieram  para somar como órgãos fiscalizadores de modo a assegurar o pleno funcionamento do Sistema Municipal de Gestão Ambiental e de Saúde.

Os pneus recolhidos pelo serviço municipal de limpeza pública  foram levados para um Ponto de Coleta administrado pela Prefeitura Municipal, que por meio de parceria de convênio com a Empresa RECI CLANIP de São Paulo, criada pelos maiores fabricantes de pneus do mundo com o compromisso sócio ambiental é a responsável por toda gestão da logística de retirada dos pneus inservíveis do Ponto de Coleta e pela destinação ambientalmente adequada deste material ate as  empresas  de trituração, licenciadas pelos órgãos ambientais competentes e homologados pelo Ibama, sem nenhum custo para o cofre público.

Para que esta prática não volte mais a ocorrer no citado lixão, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente vem realizando um trabalho de conscientização para que os borracheiros, recapeadoras e os  munícipes , façam o descarte dos pneus de forma voluntaria  no Ponto de Coleta, localizado na Garagem da Prefeitura na Vila São José.
 

""

Ponto de coleta na garagem da Prefeitura

Segundo o prefeito municipal José Gouveia de Araújo e o seu vice-prefeito Alex Soares dos Santos, visando encontrar a metodologia adequada a ser aplicada no gerenciamento do lixo de forma integrada com todos os cuidados do “berço” ao “tumulo” com ações e estratégias para a construção de uma sociedade sustentável, o município esta se adequando a nova Lei de Politica Nacional de Resíduos Sólidos(PNRS) de 7 de julho de 2010, que responsabiliza também empresas e consumidores pelo destino do lixo tóxico de difícil decomposição.

Classificados por sua natureza física: seco e molhado, por sua composição química: matéria orgânica e inorgânica, e  pelos riscos potenciais ao meio ambiente: perigosos, não inertes e inertes todo o lixo produzido em nossa cidade de origem Domiciliar, Comercial, Industrial, Público e os entulhos. A exemplo dos pneus, plásticos, agulhas, seringas, cultura de animais usados em testes, luvas descartáveis, remédios com prazo de validade vencidos, pilhas, baterias, e lâmpadas fluorescentes por terem metais pesados, por poluir o lençol freático a terra e o ar pelas queimadas indevidas que ali eram realizadas.

O prefeito Gouveia ainda enfatiza que a criação do Consórcio Intermunicipal de Saneamento Básico Nordeste Goiano – Cisban-GO, visando atender as exigências da lei 12.305/2010, define como meta prioritária a elaboração do PIGRS – Plano Integrado de Gestão de Resíduos Sólidos, objetivando a aquisição de uma área para a construção de um aterro sanitário que atenda a demanda de Posse e Região.

“E sabendo qual é o problema, definindo-o, precisamos ter a força e a vontade politica para enfrenta-lo.” Enfatizando  Gouveia, esperar com as medidas adotadas a redução e ate mesmo a eliminação  dos casos de dengue em Posse, se a coletividade também continuar fazendo sua parte. 

""

Antes da coleta

 

Veja como estava a situação antes da coleta

 

O Governo Municipal vem fazendo o dever de casa, realizando a maior limpeza já vista no município, começando pelas áreas verdes, lotes baldios e retiradas de entulhos das vias públicas, retirada dos pneus e o patrolamento do lixão que esta com os seus dias contados para ser desativado e arborizado.

O Município, sensibilizado com o destino dos catadores de lixo, tem em seu banco de dados o cadastro das pessoas que tiram dali o seu sustento de forma insalubre,  pretendendo num futuro próximo a implantação da Coleta Seletiva, por conta do custo-benefício na preservação dos recursos naturais com a diminuição do volume de lixo produzido no município que hoje corresponde em cerca de 30 toneladas dia. E também pela geração de empregos através da Cooperativa ou Associação que se encontra em fase de constituição.

""

Catadores, Secretário de Meio Ambiente deseja criar uma Cooperativa

Para o Secretário Municipal de Meio Ambiente e também presidente do CODEMA Rafael Lagreca é necessário o comprometimento de toda a sociedade no trabalho de conscientização e fiscalização e diz: “ Além dos entes públicos é necessário o envolvimento de todos, da pessoa física a jurídica que tenham responsabilidade Sócio Ambiental na fiscalização e preservação do meio ambiente que vivemos e deixaremos para os nossos filhos.” Ressaltou Lagreca. 

 

""

Área depois da coleta

""

Área depois da coleta

Texto e fotos: Ivan Carlos Brasileiro