Melhora na estrutura da Saúde diminuiu o número de transferências de pacientes de Posse

Entre os dias, primeiro e 30 de maio, a Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Coordenadoria do Sistema de Regulamentação, encaminhou 109 pacientes para tratamento em Goiânia.

Este número é pequeno, se comparado ao mesmo período do ano anterior. Segundo a coordenadora do Sistema de Regulamentação, Lilian Martha Barreto de Melo, antes da reforma do Hospital Municipal de Posse e dos postos de saúde, os encaminhamentos quase dobravam este número.
Lilian explicou que a transferência de um paciente de Posse para ser atendido em outro local, como Formosa e Goiânia se faz necessário quando não há, aqui no município, médicos especialistas no problema do paciente, ou exames requeridos, além de procedimentos cirúrgicos.
“O nosso problema é fazer com que a população entenda que caso haja a demora no encaminhamento, ele não ocorre por nossa causa, mas sim pelos procedimentos do Sistema Única de Saúde, que preconiza uma espera de até 90 dias para atender nossos pedidos, estes os mais urgentes”.
As especialidade mais buscadas no Sistema de Regulação são otorrinolaringologia, neurologia, gastrenterologia e cirurgia geral. Para ser atendido pela Regulação, o paciente precisa antes de tudo passar por um médico de Posse, que faça o encaminhamento. “Isto é fundamental, bem como a apresentação da identidade, comprovante residencial, cartão SUS e cópia de todos os exames já feitos. Sem isto, por mais que a Lilian se esforce e tente ajudar, não há como atender os pacientes e encaminhá-los para outras cidades” explicou a secretária municipal de Saúde, Bete Manieri.
Graças ao empenho da equipe municipal, os pacientes podem contar com todo o apoio das secretarias de Saúde, e de Assistência Social, que mantém em Goiânia uma casa de apoio para receber e ajudar os pacientes de Posse em todos os procedimentos. Para isto a Prefeitura promoveu há pouco tempo várias reformas na Casa de Apoio.
Postado por: Departamento de Comunicação